UNISUAM recebe seminário para debater o Estado Laico e a liberdade religiosa


UNISUAM recebe seminário para debater o Estado Laico e a liberdade religiosa

seminario

Foi realizado na última quinta-feira, 04/09, o “Seminário Estado Laico e Defesa da Liberdade Religiosa”, em parceria com a Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, o curso de Serviço Social e a Extensão UNISUAM.

O seminário teve a proposta de criar um fórum inter-religioso propiciando a criação de um espaço de discussão sobre o que é o Estado Laico e debater ações de intolerância religiosa. Foram convidados para a mesa de debate: Profª Lidia Medeiros, Professora do curso de Serviço Social da UNISUAM; Jayme Bertolin, Ministro-Pregador da Religião de Deus, do Cristo e do Espírito Santo, Historiador e Pós-Graduando em Ciência da Religião; Babalawo Ivanir dos Santos, Pedagogo e Conselheiro  Estratégico do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP), Interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR); Márcio de Jagum, Advogado, Presidente da Associação Nacional de Mídia Afro (ANMA) e Og Sperle, Publicitário e Presidente da União Wicca do Brasil (UWB).

Assuntos como o significado de religião, a liberdade de crença e os modelos de Estado, entre eles, o Laico, foram abordados durante o evento. Márcio de Jagum chamou a atenção para alguns problemas existentes na sociedade em que vivemos, como a questão da concessão de canais de TV para emissoras de determinada religião em detrimento de outras, e o conflito existente entre o modelo de ensino confessional e o conceito de Estado Laico.

seminario_

O Babalawo Ivanir dos Santos lembrou dos conflitos decorrentes da intolerância religiosa que geraram fatos como a destruição de alguns templos de religiões afrodescendentes e, mais recentemente, o caso do aluno que sofreu preconceito na escola por utilizar guias de Candomblé. Perguntado sobre como o tema deveria ser tratado nas escolas, o Babalawo falou da importância dos negros conhecerem sua história e citou a Lei 10.639/03, que obriga o ensino da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana em todas as escolas, públicas e particulares, do Ensino Fundamental até o Ensino Médio.

seminario_2

 





Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Nenhum comentário