UNISUAM e EMBRAPA criam manual para otimizar manipulação e conservação de pescado


UNISUAM e EMBRAPA criam manual para otimizar manipulação e conservação de pescado

Material contribuirá como instrumento de desenvolvimento local para cerca de 70.000 trabalhadores do agronegócio aquícola

 

No Brasil, em geral, e na Região Sudeste, em particular, o fortalecimento tecnológico do elo agroindustrial da cadeia do pescado é um imperativo para a garantia da qualidade e segurança dos produtos do setor de pesca e aquicultura, uma vez que a alta perecibilidade desses produtos gera sérios problemas para os atores envolvidos na cadeia.

 

O nível de perdas anuais equivale a 30% da produção total de pescado no país. Com o intuito de minimizar esses problemas e otimizar o processo de manipulação e conservação do pescado, a UNISUAM, juntamente com a EMBRAPA e a FIPERJ, firmou, em 2014, uma parceria de cooperação técnico-científica com o objetivo de transferir conhecimentos e tecnologia para o setor produtivo sobre as boas práticas aplicadas à despesca (aquicultura) e à pesca.

 

O projeto, intitulado “Fortalecimento tecnológico do elo agroindustrial da cadeia do pescado na Região Sudeste do Brasil por meio da socialização de conhecimentos, tecnologias e práticas”, abrange 3 espécies (rã, peixe e camarão) e é um desdobramento do projeto “Ranicultura em Rede: Construção de uma rede de interação e aprendizagem para a transferência de tecnologia na cadeia ranícola brasileira”.

 

Segundo a Profª Sílvia Mello, Docente do Mestrado em Desenvolvimento Local UNISUAM e Pesquisadora da FIPERJ, o projeto “Ranicultura em Rede” viabilizou a publicação impressa de 1.000 exemplares de manuais sobre manejo de girinos com sistema de reuso, guias para instalação de sistema de reuso de água e, ainda, 300 pendrives para distribuição ao setor produtivo de software para controle da produção de ranários.

 

“Esses produtos foram resultantes de 3 dissertações do Mestrado em Desenvolvimento Local UNISUAM e as tecnologias geradas foram repassadas para toda a Região Sudeste do Brasil, em parceria com a EMBRAPA e a FIPERJ”, ressalta ela.

 

Visando dar continuidade ao desenvolvimento de soluções tecnológicas e produzir ferramentas que contribuam para melhor explorar e otimizar o processo de manipulação e conservação da cadeia de pescado no Brasil, o projeto “Fortalecimento tecnológico do elo agroindustrial da cadeia do pescado na Região Sudeste do Brasil por meio da socialização de conhecimentos, tecnologias e práticas” promoveu capacitações para o setor produtivo, cursos para multiplicadores que atuam no processamento, inspeção sanitária, nutrição e gastronomia, bem como originou a elaboração e publicação do “Manual Técnico de Manipulação e Conservação de Pescado”, escrito pelos pesquisadores André Cribb – EMBRAPA, Sílvia Mello – FIPERJ/UNISUAM e José Seixas – UNISUAM.

 

“O manual aborda temas com potencial de contribuir não apenas para a garantia da qualidade e segurança dos produtos da cadeia do pescado, mas também para a redução das perdas na mesma. Ele foi configurado a fim de servir como fonte de consulta para a capacitação de técnicos e extensionistas, bem como pescadores e produtores, no que diz respeito à prática de despesca e obtenção de derivados do pescado”, observa André.

 

De acordo com os pesquisadores, esta publicação contribuirá para a cadeia produtiva do pescado que atua, no Rio de Janeiro, como instrumento de desenvolvimento local para cerca de 70.000 trabalhadores do agronegócio aquícola.

 

(Leia mais: 12 motivos para fazer um Mestrado, se destacar no mercado e impulsionar a sua carreira)

 

 

 

 

Mestrado em Desenvolvimento Local UNISUAM

 

O programa surgiu da necessidade de formar profissionais qualificados com ênfase em temas vinculados ao Desenvolvimento Local Sustentável, em seus variados aspectos: econômico, social, educacional e ambiental.

 

O objetivo geral do programa é formar agentes capazes de identificar condições latentes e estimular, com base na inovação, o empreendedorismo, o associativismo e as competências para o trabalho, inclusive a habilidade de gestão para os empreendimentos daí resultantes.

 

Oferece formação acadêmica e profissional completa, de modo que os alunos conseguem integrar competências e habilidades em Pesquisa e Docência, bem como atuar no mercado de trabalho desenvolvendo novas tecnologias sociais.

 

Com seleções semestrais, o Mestrado em Desenvolvimento Local da UNISUAM possui o processo seletivo composto por 2 etapas, a prova escrita e a entrevista presencial abertas para profissionais de todas as áreas do conhecimento e também para alunos do último período de cursos de Graduação.

 

Saiba mais sobre o Mestrado em Desenvolvimento Local UNISUAM

 

 

 

 

Vem fazer Mestrado com a gente!

 

MATRÍCULAS ABERTAS





Luana Medeiros

Por

Analista de Comunicação e MKT/Jornalista/Revisora - Especialista em produção de conteúdo com foco em alta performance

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Nenhum comentário