O adeus acadêmico a Stephen Hawking – Uma singela homenagem da UNISUAM a um dos maiores cientistas do mundo


Imagem do Post

Everton Rangel – Físico e Docente nos cursos de Engenharia UNISUAM

A Física hoje não perdeu um grande gênio da Cosmologia e contemplador da beleza do Cosmos e da Física que o constrói. A Ciência não deixou de ter uma grande mente por trás de teorias que colocam o universo em uma casca de noz. Os teóricos Matemáticos e os Astrofísicos não perdem as grandes teorias que nos fazem caminhar em buracos de minhocas e entrelaçar um universo em cordas quânticas. Os pensadores não deixarão de contemplar os múltiplos universos e as suas fantásticas possibilidades de existência. Sabe por quê? Um homem não se deixou levar pelas incapacidades físicas, mas soube elevar a sua capacidade intelectual muito além do universo de possibilidades em sua mente, construindo uma verdadeira jornada para desvendar os segredos escondidos e compartilhá-los com os seres que ainda não contemplaram a sua grandiosidade.

Parafraseando Albert Einstein: “A mente que se abre às grandes ideias, nunca retornará ao seu tamanho original”. E é por meio desta frase que agradeço a esse grande homem sonhador e eterno pelos seus feitos e legado à humanidade.

 

 

Hawking se tornou um dos cientistas mais conhecidos do mundo ao abordar temas como a natureza da gravidade e a origem do universo. Também foi um exemplo de determinação por resistir muitos anos à esclerose lateral amiotrófica, uma doença degenerativa.

Stephen William Hawking, físico e pesquisador britânico, nasceu em 8 de janeiro de 1942, exatamente 300 anos após a morte de Galileu, e morreu na mesma data do nascimento de Albert Einstein (14 de março de 1879).

Doutor em Cosmologia, foi Professor Lucasiano Emérito na Universidade de Cambridge, um posto que foi ocupado por Isaac Newton, Paul Dirac e Charles Babbage. Foi, pouco antes de falecer, Diretor de Pesquisa do Departamento de Matemática Aplicada e Física Teórica (DAMTP) e fundador do Centro de Cosmologia Teórica (CTC) da Universidade de Cambridge.

No final da década de 1960, Stephen Hawking ganhou fama com sua teoria da singularidade do espaço-tempo, aplicando a lógica dos buracos negros a todo o universo. Ele detalharia o tema ao público em geral no livro “Uma breve história do tempo”, best-seller lançado em 1988.

Em 2014, sua história de vida foi contada no filme “A teoria de tudo”, que rendeu o Oscar de melhor ator a Eddie Redmayner, que interpretou o físico no cinema.

 

 





Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Nenhum comentário