TEDxUnisuamED: primeira experiência TEDx voltada à educação no Brasil foi sucesso de público e contéudo


TEDxUnisuamED: primeira experiência TEDx voltada à educação no Brasil foi sucesso de público e contéudo

TED_news

A UNISUAM entrou na última quinta-feira, 03/04, para o hall de organizadores de um evento reconhecido internacionalmente, um evento com a qualidade TED: é o TEDxUnisuamED. O primeiro TEDx ED do Brasil, uma experiência única e original em nosso País, voltada para o futuro da nossa educação e do mundo.

O evento, que foi um sucesso, teve como mestre de cerimônia o Prof. Ovídio Mota, Coordenador do curso de Comunicação Social UNISUAM, que chamou ao palco o Prof. Arapuan Netto, Reitor da UNISUAM, para dar início ao TEDxUnisuamED. Em sua fala, o Reitor mencionou a constante busca da Instituição por inovações ao longo dos últimos anos, visando compreender a forma como o ensino e o conhecimento são transmitidos ao redor do mundo. Falou, ainda, que em suas viagens, refletiu a respeito dos avanços já feitos pela UNISUAM e os novos desafios a serem enfrentados e, que dessas viagens, nasceu a ideia do TEDx.

A primeira palestra foi a do Prof. Carlos Alberto Figueiredo, Pró-Reitor Acadêmico das Áreas de Engenharia e Licenciaturas da UNISUAM, que apontou a interrogação como o símbolo do conhecimento, uma vez que através dela surgem as dúvidas e a partir delas o conhecimento se reproduz e ser propaga.

Dando sequência ao evento, Fábio Reis, Diretor de Operações da Unidade Lorena da UNISAL, conduziu sua apresentação sob o tema “Inovações acadêmicas: repensando a sala de aula”, ressaltando a importância de repensar continuamente o ambiente da sala de aula, incluindo as tendências virtuais atuais e metodologias mais modernas. Ele também apresentou como a UNISAL trabalha essa questão e comentou, ainda, a parceria com a UNISUAM (chamada por ele de “Instituição irmã”), dizendo que ele considera a Instituição uma das que mais se preocupa com tecnologia e metodologias no país.

“A Educação precisa te instigar, precisa te incomodar a ponto de te fazer pensar e agir”, com esta fala, Anderson França, o Dinho, fundador da Dharma Agência, da Funk You, da Universidade da Correria e aluno bolsista da UNISUAM, iniciou a terceira palestra do TEDx UnisuamED, explicando a importância das ruas, do bairro e da religião como ambientes de aprendizado na construção cidadã, tudo isso pontuado pelas suas histórias de vida.

Em seguida, arrancando aplausos da plateia com seu poema “Explicação”, Gabriel Contino, mais conhecido como Gabriel O Pensador, abriu a quarta palestra. Rapper, compositor, escritor, empresário, Gabriel intitulou sua palestra de “Linhas Tortas”, por acreditar que deve-se crer sempre nos sonhos, pois é pelas linhas tortas que vamos ainda mais longe do que acreditamos. Em seu discurso, descreveu o aprendizado como um componente necessário para construir uma realidade melhor e como arma contra posturas erradas, como o racismo. E se despediu com a música “Sem Parar”, uma de suas belas e inspiradoras composições.

Nós Não Vamos Revolucionar a Educação… A palestra de Marcos Fisbhen, professor de Física e criador do site Descomplica, destacou a importância do simples na Educação. Para ele, não é necessário ignorar metodologias eficientes, mas adaptar o que dá certo às tecnologias e realidades atuais. Apresentando as ideias utilizadas em seu site, que disponibiliza videoaulas para alunos que estão se preparando para o ENEM, ele demonstrou que o objetivo não é revolucionar a Educação, mas, sim, melhorar a vida e o aprendizado das pessoas.

“Não importa de onde você vem, mas para onde você pode ir”. Essa foi a grande lição de vida compartilhada por Eduardo Lyra, sexto palestrante do TEDx UnisuamED. Oriundo de uma comunidade de Guarulhos, cresceu entre a violência e viu seu pai sucumbir a ela. Ele podia ser qualquer coisa, seguir o caminho do mal. Mas, ele fez diferente. Hoje ele é autor do livro “Jovens Falcões”; vencedor do Prêmio Itaú; um dos 15 jovens brasileiros que podem mudar o mundo, segundo o Fórum Econômico Mundial; e fundador do Instituto Gerando Falcões. Com o apoio dos pais, ele aprendeu que a educação e a confiança nos jovens é o que faz pessoas simples fazerem coisas extraordinárias.

A fala mansa de Luis Fernando Guggenberger não engana: em sua palestra, ele instigou o público a questionar os paradigmas das estruturas de Ensino. Abordou a necessidade de quebra com o ambiente pouco mutável da aula, a falta de liberdade das chamadas grades curriculares e da dificuldade dos alunos de entenderem algumas inovações. Para ele, que é formado em Publicidade e Propaganda e lidera a Rede Vivo Educação, o desafio no mundo é implantar uma educação interativa real.

A primeira palestra após o intervalo do almoço foi de André Gravatá, membro do coletivo Educ-Ação e coautor do livro “Volta ao Mundo em 13 Escolas”, que discutiu seu conceito de Educação como raiz firme da mudança. Logo após, Maria Vilani, fundadora do CAPS e Pedagoga, retratou a importância do conhecimento e da arte populares na construção da Educação.

A décima palestra do TEDx UnisuamED ficou por conta da Diretora do Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA), de São Paulo, Eda Luiz, que em sua apresentação mostrou o trabalho feito pelo Centro, que tem por objetivo a melhoria da realidade dos moradores do Capão Redondo, bairro pobre de São Paulo. Sua palestra contou com a participação de Anderson Odorico, ex-usuário de crack que teve sua vida modificada pelo trabalho do CIEJA.

Linguagem imagética e o uso do cinema como material-base para a Educação e não apenas como entretenimento para os alunos. Essa foi a metodologia que norteou a palestra da Profª Glória Elena, Doutora em Letras, professora de Língua Inglesa e professora de Graduação na UNISUAM.

Finalizando o ciclo de palestras do TEDx UnisuamED, o Prof. Carlos Henrique Xerfan, Diretor de Inovação e Desenvolvimento, Coordenador de Pós-Graduação Lato Sensu e Coordenador de EAD da UNISUAM, falou a respeito da ressignificação do ambiente acadêmico, da queda da barreira entre o real e o virtual nas salas de aula, da resistência de alguns docentes em relação a esta fórmula e da descentralização da figura do professor como a única fonte de conhecimento no espaço da sala de aula.





Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Nenhum comentário