Professor de História fala sobre a história do chorinho


Professor de História fala sobre a história do chorinho

chorinho_2

O chorinho, gênero musical brasileiro e carioca, muito conhecido também por suas tradicionais rodas de choro, recebeu duas homenagens este ano: a primeira, realizada em abril, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj); e a segunda, por meio de uma placa em lembrança a Pixinguinha, um dos maiores chorões de todos os tempos e que empresta sua data de nascimento (dia 23 de abril) para a comemoração simbólica do chorinho.

Para completar a homenagem, o jornal Brasil de Fato publicou uma matéria, em sua 7ª edição, sobre a história do chorinho e que teve a participação do Prof. Leonardo Santana da Silva, que ministra a disciplina História da África, no curso de História da UNISUAM.

Mestre em História Social e Doutorando em História Comparada pela UFRJ, Leonardo falou sobre a consolidação do chorinho enquanto gênero musical a partir de 1870 com Joaquim Callado, considerado pai dos chorões. Autor do livro “A contribuição do chorinho para inserção do negro na sociedade brasileira”, o professor falou ainda sobre a relação entre o chorinho e os negros que, após a abolição da escravatura, formaram novos grupos.

Leia a matéria na íntegra (página 12)

 





Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Nenhum comentário