Inclusão social, melhoria da educação e sustentabilidade ambiental


Inclusão social, melhoria da educação e sustentabilidade ambiental

Artigo produzido pela Profª Drª Kátia Eliane Santos Avelar – Docente e Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Local UNISUAM


A degradação do meio ambiente e os impactos decorrentes sobre a vida humana tornaram-se, na atualidade, um elemento motivador para o enfrentamento da grave crise socioambiental que afeta a sociedade contemporânea.

Pesquisas apontam que doenças decorrentes da falta de saneamento básico e descarte inadequado de resíduos poderiam ser evitadas com medidas educativas e de infraestrutura.

Uma das formas de reverter ou minimizar tais problemas é a atuação conjunta da sociedade no desenvolvimento de ações voltadas para a solução desses problemas. 


(Leia mais: Seja migs do meio ambiente – Conheça o seu lixo e pratique a coleta seletiva)


Os estudos desenvolvidos consistem em pesquisas de caráter interdisciplinar junto a escolas, comunidades e demais segmentos da sociedade civil, voltadas para a Educação em Saúde, Educação Ambiental e destinação adequada dos resíduos sólidos, com vistas à melhoria da educação e inclusão social.

Tais pesquisas buscam suprir a necessidade de formação de pessoal e o desenvolvimento de produtos destinados à orientação de políticas públicas para a educação em saúde, educação ambiental, reaproveitamento sustentável de resíduos, além da gestão ambiental para a sustentabilidade de processos produtivos. 

A sustentabilidade ambiental é uma das expressões mais utilizadas, na atualidade, ao se discutir os impactos negativos causados pela ação humana ao meio ambiente e se associa diretamente à responsabilidade para um desenvolvimento econômico sem agressões ao meio ambiente e com o uso dos recursos naturais de forma eficiente, com a garantia que eles se mantenham no futuro.


(Leia mais: A degradação ambiental afeta os mais pobres)

De acordo com a Fundação Nacional Saúde, os resíduos resultantes das atividades humanas podem ser parcialmente reutilizados, ensejando, entre outros aspectos, proteção à saúde humana e economia de recursos naturais. 

Dentre os estudos desenvolvidos destaco a implantação da educação ambiental, coleta seletiva e logística reversa em uma escola pública do Rio de Janeiro.

A compreensão da importância da destinação adequada dos resíduos sólidos gerou hábitos ambientalmente saudáveis em professores e alunos que, consequentemente, levaram esses costumes para os seus lares e famílias.

Como consequência, muitos moradores passaram a realizar a separação de resíduos em suas residências, disponibilizando-os para a coleta individualizada. Dentro do ambiente escolar, o combate ao desperdício e à sujeira contribuíram para a geração de um ambiente mais satisfatório para o ensino, além de tornar a prestação de serviços de limpeza eficiente e dinâmica.

(Leia mais: Inclusão de pessoas com deficiência na sociedade)


Os materiais coletados pela escola foram comercializados e as receitas advindas com a reciclagem foram utilizadas para a compra de materiais para a limpeza, conservação ou itens de uso coletivo, sempre de forma transparente, com a divulgação nos informativos. Também foram realizadas ações sociais comunitárias financiadas com os recursos oriundos do projeto, além da contratação de Dentistas e Psicólogos para o atendimento da comunidade.

As pesquisas desenvolvidas estão alinhadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável propostos pela Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas, que pressupõem um desenvolvimento associado a uma melhor qualidade de vida, educação de qualidade e inclusão social. 




Quer estudar com a gente?

MATRÍCULAS ABERTAS

Conheça o Mestrado em Desenvolvimento Local UNISUAM!



Para mais informações, ligue (21) 3882-9797





Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Nenhum comentário