Ensino: os novos Skills para um mundo novo


Ensino: os novos Skills para um mundo novo

jee-selects

Prof. Carlos Alexandre Duarte Corrêa – Coordenador de Ensino da Zona Oeste

O mundo tem passado por um momento, sobretudo nos últimos 15 anos, de profunda turbulência. A velocidade das mudanças, e as incertezas por ela causadas, fez com que as organizações que entraram no século passado, ainda pautadas por modelos tradicionais de comportamento e processos, sofressem com uma traumática falta de perspectiva do ambiente de negócios. Toda a previsibilidade, os riscos, os investimentos e aparelho gerencial foram tremendamente abalados e as organizações começaram a “tatear” novas formas de sobreviver.

A reboque deste cenário, a educação começou a encarar um contexto de ação com o qual ainda não houvera se deparado. Aqui cabe ressaltar que duas mudanças no tecido social são relevantes: as novas gerações de crianças – absolutamente diferenciadas, com interesses novos, hábitos não idealizados, multiplicidade de formas, pensamentos, sem tendências claras – e a mudança na família. A família e a escola reproduziam um modelo de educação que se fortalecia por meio do status quo. Por conta disso, a escola reproduzia o modelo de educação de casa e vice-versa. Os “novos pais” já não valorizam mais uma série de questões e esta parceria “conceitual” perdeu sua força.

debate

Com isso, a escola – sozinha – tem que trilhar um novo caminho. Tal pensamento nos leva à efetiva reflexão acerca dos skills necessários para se ensinar hoje. A reprodução dos conteúdos já não faz mais tanto sentido. Questões como comportamento, capacidade de liderar e empreender começam a ganhar ressonância em todas as áreas. Não quero dizer com isso que o clássico/tradicional não tenha mais espaço. Óbvio que tem. Mas, estamos em uma clara transição e as instituições de ensino começam a se posicionar em relação a isto, com vistas a promover um alinhamento atitudinal e procedimental dos colaboradores docentes.

Isso nos leva a uma mudança profunda em processos como recrutamento e seleção docente, integração docente, treinamento e desenvolvimento do corpo docente e, principalmente, avaliação do desempenho, visando ao alinhamento de perspectivas, conduta, valores etc.

Por fim, é interessante ressaltar que questões relacionadas à capacidade do docente, tais como ser um líder para seus alunos, em detrimento de ser apenas o “chefe da sala”; buscar aprimoramento – não só o técnico de sua área, mas o relacionado à docência em si; comprometimento com as organizações em que trabalham e a sustentabilidade do negócio, como se fossem “donos do negócio”; tornam-se centrais no perfil desejado para este profissional.

caracteristicas-que-debes-tener-en-cuenta-para-ser-lider-ideal-universia-colombia

O texto não tem como intuito expor uma questão ideológica, no sentido da gestão e nem tampouco estar em concordância ou não com este modelo, trata-se apenas de uma constatação com base no próprio movimento corporativo e dos recursos humanos destas instituições de ensino. O mundo não para de mudar e a educação, sem qualquer sombra de dúvida, acompanhará esta mudança. Um novo hall de instituições de ensino e um novo grupo de skills para ensinar são uma realidade. Resta apenas pensar: você está inserido neste novo mundo?

 

Minicurrículo

11825812_713444275426203_89303932832734783_n

Mestre em Administração e Desenvolvimento Empresarial pela Universidade Estácio de Sá (2006), com especialização em Gestão de Tecnologia e Negócios pela mesma instituição (2003) e Graduação em Administração de Empresas pelo Centro Universitário Celso Lisboa (1999). Tem experiência na área de Administração, tendo atuado em empresas como a Wilson Cerqueira Consultores Associados e a CMT Consultores Associados trabalhando na Gerência Operacional de Trabalhos de Consultoria em mais de 30 empresas pelo Brasil, tais como Antárctica, Brahma, GM, Votorantin, dentre outras. Foi gestor por 11 anos do curso de Administração, Gestor dos Cursos Superiores em Tecnologia de Recursos Humanos e de Marketing, Coordenador da Área de Ciências Sociais Aplicadas e Saúde e, atualmente, Coordenador de Ensino da Zona Oeste na UNISUAM. Foi Professor dos cursos de Administração, Marketing e Recursos Humanos da Universidade Católica de Petrópolis e do Centro Universitário Celso Lisboa. Professor convidado da Pós-Graduação no curso de Administração em Saúde das Faculdades São Camilo, da Pós-Graduação em Gestão da Universidade Católica de Petrópolis, da Pós-Graduação em Gestão de Recursos Humanos e do MBA em Gestão Empresarial da UNISUAM. Professor convidado da Universidade de Cuiabá para o MBA em Coaching. É pesquisador líder do Grupo de Pesquisa no Ensino de Administração – GPEAD cadastrado e certificado no DGP do CNPQ, com enfoque em Ensino de Administração, Estratégias Empresariais e Gestão Universitária. Membro do Comitê de Marketing do Conselho Regional de Administração do Rio de Janeiro. Foi membro do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UNISUAM, do Núcleo Docente Estruturante do curso de Administração da UNISUAM, do Colegiado do curso de Administração da UNISUAM, do Núcleo Docente Estruturante do curso de Marketing da UNISUAM. Atualmente, é membro do Colegiado do curso de Administração da UNISUAM. Homenageado por três vezes com moções da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro – ALERJ por serviços prestados à profissão da Administração e destaque de comprometimento como profissional de Administração.

 





Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Nenhum comentário