Coronavírus e as Cidades do Brasil: reflexões durante a pandemia


Coronavírus e as Cidades do Brasil: reflexões durante a pandemia

A Profª Andrea Borges, Docente do curso de Arquitetura e Urbanismo UNISUAM, juntamente com Leila Marques, Arquiteta e Urbanista, é a organizadora do livro “Coronavírus e as Cidades do Brasil: reflexões durante a pandemia”, um compilado de 33 textos que abordam a situação de cidades brasileiras diante da crise do novo Coronavírus e da necessidade de isolamento social.

Os textos, escritos por diversos Arquitetos e Urbanistas, juntamente com professores e pesquisadores de outras áreas, como História, Relações Internacionais, Economia e Filosofia, analisam causas e efeitos, resgatando fatos recorrentes e notícias recentes, e buscam fazer um diagnóstico da cidade durante a pandemia para que sejam registrados relatos realistas, multidisciplinares, com indicações para um “tratamento profilático” em um futuro próximo.


(Leia mais: A Favelada Arquiteta – Conheça a história da egressa que vem mudando realidades por meio da Arquitetura)


De acordo com as organizadoras da obra, os autores abordam, de diferentes ângulos e sob diferentes enfoques, as principais questões urbanas de uma cidade doente de COVID-19, mas que, certamente, será salva e vai precisar se reinventar.

“Cada participante abordou o tema por uma ótica distinta: ligando a crise causada pelo COVID-19 à mulher, ao desenho urbano, aos transportes, às favelas, à Educação, entre outros aspectos”, explica Andrea.

(Leia mais: Arquitetura e Urbanismo UNISUAM é nota 4 no MEC!)


O texto de Andrea, por exemplo, intitulado Utópico Retorno, trata da necessidade que nós temos de fazer uma reflexão sobre como será essa volta após a pandemia considerando todos os fatores que levaram a sociedade, algumas cidades e alguns países, como o Brasil, a terem um número tão alto de contágio e uma dificuldade tão grande de sair do isolamento. Ela aborda, ainda, as problemáticas referentes às relações sociais, econômicas, ambientais e a dificuldade de criar laços mais colaborativos e cooperativos entre as pessoas, questionando qual será o caminho que nós vamos seguir no futuro, quando sairmos do isolamento e voltarmos às relações sociais: um caminho mais humano, solidário, ou um caminho que, de fato, repete os erros do passado, com erros influenciados pela mão invisível do mercado que pode tudo, mas que não é humana?

Gustavo Jucá, Coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo UNISUAM, assina o artigo O ensino em tempos de isolamento social: complexidade e contradição na formação do profissional humanista, uma reflexão sobre como formar um profissional humanista, ciente de seu papel social e conhecedor da maior quantidade possível de realidades da sociedade, isolado do contato com a sociedade que o cerca e dos seus objetos de estudo, territórios da cidade onde mora e é seu campo de atuação. 

(Leia mais: Alunos do curso de Arquitetura UNISUAM criam canal virtual de monitoria)


Diana Helene Ramos, em seu artigo Eu quero sair daqui!: do isolamento doméstico à coletivização do cuidado, optou por falar das mulheres, uma vez que, para além do ônus às atividades dentro do núcleo familiar, é preciso considerar que as mulheres compõem ainda a maioria dos trabalhadores que vão lidar diretamente com o cuidado da doença.

Lúcio Nascimento, Docente do curso de Arquitetura e Urbanismo UNISUAM, no artigo Isolamento social sim, intelectual não: reflexões em tempos de pandemia faz uma contextualização sobre o isolamento da quarentena, as mudanças na economia global, essa doença nova que faz com que a ciência biomédica tenha que oferecer respostas e traz um apelo: “Intelectuais de todo o mundo, reuni-vos nas plataformas digitais para depois da pandemia atuarmos em nossas cidades!!!!”.

Também Docente da Instituição, Núbia Nemezio, no texto Território e vínculo na cidade, reúne alguns exemplos de ações dos movimentos sociais durante a pandemia para demonstrar que as suas articulações, fruto de fortes construções históricas, são capazes de promover respostas rápidas em um momento tão delicado.

Há trabalhos de profissionais de vários estados como Alagoas, Sergipe, Espírito Santos. Mas, São Paulo e Rio de Janeiro formam o eixo principal da obra por serem grandes metrópoles e concentrarem muitos casos da doença. 





Autores do livro


Aline Souza do Nascimento

Andrea Borde

Andrea Borges

Carlos Fernando Andrade

Clarisse de Almeida

Daniela Zanetti e Adriana Fiorotti

Daphne Besen

Denise Vogel

Diana Helene Ramos

Dinah Papi

Duarte de Souza Rosa Filho e Adriana Fiorotti Campos

Eduardo Sanches Salsamendi,

Eleonora Lisboa Mascia

Ermínia Maricato

Fabio Bruno de Oliveira

Glauco Bienenstein, Regina Bienenstein e Daniel Sousa.

Gustavo Juca Ferreira Jorge

Isabel Rocha

Jaucele Azerêdo e e Ruskin Freitas

José Ricardo de M. Lopes

Leila Marques da Silva

Lucio Nascimento

Marcela Marques Abla

Michele Baruffaldi

Mila Montezuma

Nabil Bonduki

Núbia Nemézio

Raquel Rolnik, Débora Ungaretti e Pedro H. R. Mendonça

Rogerio Goldfeld Cardeman

Shirley Carvalho Dantas

Simone Feigelson Deutsch e Luciana Deutsch

Vicente Loureiro

William S. M. Bittar



O livro, que tem em torno de 120 páginas, está em pré-venda. Garanta já o seu!




Quer estudar com a gente?


Conheça o curso de Arquitetura e Urbanismo UNISUAM!



Para mais informações, ligue (21) 3882-9797






Luana Medeiros

Por

Analista de Comunicação e MKT/Jornalista/Revisora - Especialista em produção de conteúdo com foco em alta performance

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Nenhum comentário