Comitiva UNISUAM na 4ª Formação do Consórcio STHEM Brasil


Comitiva UNISUAM na 4ª Formação do Consórcio STHEM Brasil

A UNISUAM integra o grupo STHEM Brasil ,desde a sua criação, em 2014 e foi representada pelos Professores Eduardo Halpern – Diretor de Ensino da UNISUAM, Marcelo Costa – Líder do curso de Educação Física (Bacharelado e Licenciatura), Mariana Cata-pretta – Líder do Curso de Nutrição e Jefferson Bueno – Liderança do curso de Administração, que estiveram em Lorena para a 4ª formação – edição 2017. O STHEM Brasil é um consórcio inédito no país, formado por mais de 40 IES brasileiras e a LASPAU – Academic and Programs for the Americas, organização filiada à Universidade de Harvard, dos EUA, que tem por objetivo formar, principalmente, professores das áreas de Tecnologia, mas abrange também docentes das áreas de Humanidades. Objetivo esse traduzido em seu próprio nome, uma vez que a palavra STHEM são as iniciais em inglês de Ciências, Tecnologia, Humanidades, Engenharia e Matemática.

sthem0

Sobre a 4ª Formação 2017, em Lorena – SP

Foram 40 horas de aprendizado em inovação acadêmica. Tudo aconteceu em uma sala chamada LMI – Laboratório de Metodologias Inovadoras, no UNISAL Lorena. Ao todo, 150 docentes de 47 instituições do Consórcio STHEM Brasil, estiveram reunidos para aprender a inovar em tempos de mudança. “Neste processo, muito se fala da mudança do professor, mas o aluno deve estar consciente de que ele também tem de alterar sua postura. A partir deste novo modelo, ele é convidado a ser mais participativo e crítico”, revela Diego Amaro – Professor do UNISAL e membro do LIA – Laboratório de Inovação Acadêmica. A revolução na educação brasileira é feita em parceria com o Departamento de Inovação de Laspau/Harvard. Por meio deste trabalho, é possível a formação em rede. Para a capacitação de 2017, foram investidos US$ 180 mil, pelas consorciadas em cada professor participante do encontro.

sthem5

As instituições são públicas e privadas e representam 12 estados brasileiros. Já os professores capacitadores vieram dos Estados Unidos, Canadá, México e de instituições consorciadas para compartilhar as experiências e resultados alcançados, por meio da aplicação de métodos de aprendizagem. Os temas e professores foram:  Avaliação da Aprendizagem, por Anastassis Kozanitis- Escola Politécnica de Montreal – Canadá; Educação Empreendedora, por Rafaela Bueckmann, do Departamento de Empreendedorismo e Tecnologia – Monterrey; Sala de Aula Invertida e Ensino Hibrido por Gustavo Hoffmann e Ana Valéria S. de A. Reis, da UNA – Minas Gerais e da UNISAL, Lorena – São Paulo; Desenho de Atividades, Projetos e Disciplinas Interdisciplinares por Jose Oscar Mur-Miranda de Olin College, de Engenharia – Estados Unidos; Como inspirar, engajar e  cultivar a nova geração de estudantes em STEM por Lorna Finman, Founder & CEO STEM BusUSA, Diretora Técnica do Projeto NASA.

sthem3

Além de ter professores brasileiros e das consorciadas, a edição de 2017, também apresentou outras atividades, tais como: avaliações para aferir se o tema foi explorado de maneira clara, objetiva e assertiva;  enquetes, que foram respondidas positivamente por até 80% do público; carona solidária entre os participantes; um balanço apresentado pelo Diretor do Consórcio – Professor Fábio Reis, sobre o trabalho da equipe até agora e os objetivos para os próximos 2 anos (2017-2019).

 

O que é STHEM Brasil?

logo-sthem-mobile-retina

O sucesso dos estudantes em educação superior nas áreas de Ciência, Tecnologia, Humanidades, Engenharia e Matemática é uma preocupação quase universal. Desafios nessas áreas incluem um nível de preparação dos estudantes quando entram na universidade, retenção e aprendizagem do aluno nas principais habilidades para a economia do conhecimento.

No contexto brasileiro, o desafio fundamental é o papel  da educação superior e a importância da inovação em relação à qualidade da educação. Universidades podem responder a  esses desafios por meio da melhoria do ensino e da aprendizagem, assim como explorar possíveis ligações com professores dos ensinos médio e técnico/profissional para melhor preparar estudantes para a educação superior.

O Desenvolvimento da Inovação Acadêmica – IDIA (em espanhol) propõe trabalhar com universidades, instituições, organizações governamentais e setor privado para a implementação da Iniciativa para avançar no ensino e aprendizagem em Ciência, Tecnologia, Humanidades, Engenharia e Matemática no Brasil. Importante elemento para o sucesso da implantação das inovações pedagógicas são os conselhos e orientações de um grupo de especialistas.

 

 

 





Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Nenhum comentário