Caça-Talentos dá dicas de carreira


Caça-Talentos dá dicas de carreira

andre_sih

Nos dias de hoje, a concorrência no mercado de trabalho é algo que preocupa os candidatos a uma vaga de emprego e aqueles que estão em busca de uma recolocação profissional. Noções de inglês, uma boa formação acadêmica, postura profissional, cursos de qualificação, são alguns dos itens que integram boa parte das listas de exigências da maioria das empresas. Por isso, é sempre importante estar atento às demandas do mercado para investir na sua carreira e tornar-se um profissional de sucesso.

O caçador de talentos André Sih, formado em Engenharia de Computação, Mestre em Engenharia Elétrica e Especialista em Estratégia pela State University of New York, já passou por grandes empresas multinacionais, frequentando os mais diversos ambientes culturais, tais como Xerox Corp, Michael Page International e Nokia Siemens Networks. Atualmente, ele é sócio-diretor da Future Smart Company, atuando como Headhunter (caça-talentos) e Consultor em Gestão de Carreiras, Desenvolvimento Profissional e Treinamento, e nos concedeu uma entrevista na qual avalia o mercado e dá algumas dicas de formação e áreas que podem ser promissoras para atuação. Confira abaixo:

 

Hoje em dia, o que o mercado busca em um profissional? Qual é o tipo de formação mais adequada para se posicionar com sucesso no mercado de trabalho?

André Sih – A formação de nível superior (em qualquer área) é fundamental para uma boa colocação no mercado de trabalho e para potencializar a ascensão na carreira profissional, mas está longe de ser garantia de sucesso. Sem uma boa formação, o profissional terá seu crescimento limitado, uma vez que o cenário do mercado de trabalho está cada vez mais competitivo e seletivo. Pós-Graduação e domínio do inglês já são critérios eliminatórios em muitas empresas.

Contudo, salvo em posições muito especializadas e essencialmente técnicas, o que aumentará significativamente a probabilidade de um profissional se destacar no mercado está muito mais relacionado com habilidades pessoais, tais como boa comunicação, facilidade de relacionamento, comportamento e postura do profissional. Resiliência, que é a capacidade de transformar dificuldades e percalços em energia e persistência para continuar; Inovação e Liderança Inspiradora são os temas do momento.

 

Algumas carreiras despontam como as mais promissoras no mercado e é sabido também que as carreiras em alta se apresentam de forma sazonal. Atualmente, quais áreas você considera as mais promissoras e que possuem grande demanda?

André Sih – Sim, as carreiras da “moda” muitas vezes são sazonais. Entretanto, todas as carreiras relacionadas com Inovação, Criatividade, Comunicação, Raciocínio Quantitativo, Raciocínio Analítico e Gestão de Equipes continuarão a serem as mais promissoras desta década. Profissionais que possuam múltiplas habilidades certamente se destacarão. Por exemplo, um profissional de Comunicação precisará saber como fazer um orçamento e um planejamento financeiro para assumir um cargo de Diretoria, bem como um Engenheiro não conseguirá assumir um cargo de gestão se não dominar o português e souber se comunicar bem. Percebem como as áreas, na prática, estão inter-relacionadas? Neste sentido, temos as formações de Marketing, Engenharias, Administração e Comunicação, todas interessantes por serem multidisciplinares.

 

Como você avalia o portlio educacional da UNISUAM?

André Sih – Avalio que a UNISUAM oferece cursos de qualidade e cada vez mais reconhecidos pelo mercado profissional e comunidade acadêmica. Cursos novos têm se juntado aos cursos já tradicionais como os da área de Saúde, Gastronomia e Administração, por exemplo. O compromisso com a qualidade é um trabalho contínuo que perseguimos incessantemente. Porém, o resultado de todo este esforço diário e constante é percebido a médio e longo prazo. Vemos a ascensão de cursos de Engenharia, inclusive sendo reconhecidos como sendo de alto nível pelo Guia do Estudante, publicação da Editora Abril que é referência para os estudantes e para as empresas que buscam novos talentos. No âmbito da Pós-Graduação, estabelecemos importantes parcerias com Universidades do exterior, tais como a State University of New York, nos Estados Unidos. Estas parceiras internacionais propiciarão aos nossos alunos vivenciarem a realidade de ensino e de negócios nas maiores potências do mundo e os prepararão para serem futuros líderes globais.

 

Poderia nos passar um panorama do mercado profissional atual? Temos altas demandas e poucos especialistas em determinadas áreas? Devemos investir em formação superior? Ou a técnica seria a melhor opção para se ocupar boas vagas?

André Sih – O Brasil experimentou um crescimento no início da década (ainda que não sustentado), que expôs a nossa fragilidade e déficit educacional quanto ao número de profissionais especializados em todos os níveis: técnicos, graduados e pós-graduados.

As empresas buscavam contratar devido ao crescimento da economia, mas havia um apagão de mão-de-obra. Muitas empresas investiram inclusive em treinamento interno e universidades corporativas, pois não conseguiam preencher as vagas com profissionais externos.

Se analisarmos as grandes economias mundiais e suas histórias de sucesso, percebemos que existe uma área comum a todas elas que é bastante qualificada e foi fundamental na consolidação de suas economias: a Engenharia. Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Japão, Coréia e, mais recentemente, a China investem ou investiram um percentual significativo do PIB em Engenharia, Tecnologia e Inovação.  Trazendo para a realidade brasileira, podemos citar um exemplo claro: como conseguiremos transformar o potencial do pré-sal em riqueza para o nosso povo se não investirmos em Engenharia e Tecnologia?

Com o esfriamento da economia, começamos a perceber um esfriamento nas contratações e início de desligamentos em setores industriais específicos. Porém, em ambos os cenários (crescimento ou decréscimo do ritmo industrial), aqueles que investiram em educação serão os primeiros a serem contratados e promovidos ou serão os últimos a serem desligados, pois as empresas sempre buscarão os profissionais mais eficazes.

 

André, para finalizar, poderia deixar um conselho para quem busca sucesso profissional?

André Sih – Sugiro refletir sobre o que chamo de planejamento estratégico de carreira. Se uma empresa para ser bem-sucedida e atingir os seus objetivos precisa elaborar um planejamento estratégico e executá-lo de forma eficaz, todo nós, enquanto profissionais, também precisamos! Este planejamento começa com o autoconhecimento. Qual é a minha missão (razão de existência)? Qual é a minha visão (como eu quero ser reconhecido e lembrado pela sociedade e pelo mercado)? Quais são os valores que nortearão a busca dos meus objetivos e que eu não abro mão? Como último conselho: busque atuar em uma área em que você seja apaixonado e seja melhor do que os demais. Não desista de seus sonhos. Realize-os!





Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Nenhum comentário