Janeiro Branco – Compartilhe esta ideia!


logo_janeiro_branco

O que vem a sua mente quando você pensa em saúde mental?

“Saúde mental para mim é estar leve, tranquila e saber que tenho apoio”.  Andressa Costa da Silva – Serviço Social

“A saúde mental é tão importante quanto a fisiológica, afinal, se a sua saúde mental estiver sendo cuidada, dificilmente terá problemas fisiológicos. Quando a boca cala, o corpo fala. Tente demonstrar os seus sentimentos ou os seus desgostos. O ser humano ainda não tem o poder de ler mentes (ou coisas do tipo). A melhor maneira de se resolver algo é expondo. Só assim podemos realmente ajudar uns aos outros!”.  Valdereis Ribeiro dos Anjos Neta – Psicologia

download (15)

“Não sei, mas vou arriscar. Acho que saúde mental é estar bem consigo mesmo, ter capacidade de resolver os problemas e ajudar o próximo de alguma forma. Procuro fazer o que gosto, o que me dá prazer. Leio, escuto música etc. Uma forma também de aliviar o stress do dia a dia”.  Luiz Carlos de Oliveira – Direito

“Saúde mental é estar de bem com a vida, sempre buscar enxergar pelo lado positivo, é refletir antes do ato de fazer, manter a calma acima de tudo. Lendo, praticando hobby, tipo, caminhar, fazer trilha, estar em contato com a natureza, me dedicando a mim, às coisas que gosto e me dão prazer. A vida é tão corrida que não podemos esquecer de nós”. Barbara de Castro Pontes – Publicidade e Propaganda

download

“Saúde mental é estar aberto. Se sentir bem não somente com as pessoas, mas consigo mesmo. É procurar ter equilíbrio, capacidade em administrar as variações sejam elas emocionais, culturais internas e externas de uma sociedade. Eu procuro ler, sair, amo viajar e tenho visto já essas possibilidades para esse ano. Acho isso fundamental sabe, mente vazia não presta, procurando já ter ela ocupada às vezes é complicado, imagina sem tentar 😉”. Edivaldo Menezes de Santana – Administração

“Saúde mental é ter paz e serenidade psicológica para conseguir sorrir com toda pureza do mundo até dos simples gestos. Cultivo sempre sentimentos bons e agrego conhecimento”.  João Victor Brechane Hungaro – Publicidade e Propaganda

98f8b2_78a702f3e49c46a698ae43c459cb5757_mv2

“Estar bem com si próprio, estar realizado! Procuro sempre ocupar a minha mente. Seja com coisas profissionais ou com diversão e entretenimento”. João Victor Pereira da Silva – Fisioterapia

“Saúde mental é em primeiro plano estarmos bem com a nossa mente, pois através dela é que possuímos o controle de todo o resto de nosso corpo. Promover uma boa saúde mental é lidar com nosso bem-estar, balanceando as nossas responsabilidades com o relaxamento do nosso corpo”. Júlia da Silva Poiava – Enfermagem

mandela

“Saúde mental é estar em paz consigo mesmo, com suas decisões e consequências, sem permitir que as ações das outras pessoas interfiram na sua emoção de forma dominante. É um trabalho diário, é muito difícil, mas a saúde mental é algo que não somos incentivados a desenvolver. Vivemos em uma sociedade que apenas procura culpabilizar o outro, sem entender. Achamos que sentir pena de alguém é sofrer com ele e nos sentimos superiores por isso. Cada um deve viver as suas próprias emoções, ter compaixão do outro, mas entender que cada um atrai para si as experiências necessárias para o próprio desenvolvimento, físico, mental e espiritual. Isso tudo começa a acontecer naturalmente quando a gente entender que amor não é doação incondicional, não é anulação incondicional, que amar e respeitar a si mesmo são coisas tão importantes quanto amar e respeitar o outro. Uma busca constante por equilíbrio. Quando fiz isso, passei a sofrer menos e a viver mais em paz”. Leandro Ferreira de Freitas – Publicidade e Propaganda

“Saúde mental é estar bem com o meu corpo, as minhas ideias e objetivos. Cuido muito bem da minha saúde praticando a minha arte. DANÇAR!”. Lucas Anderson Caderusso Bastos – Educação Física

fotosemana_00_688a7

A partir da pergunta lançada, via Stories, no perfil da UNISUAM no Instagram, selecionamos algumas respostas, com o intuito de não apenas medir o conhecimento das pessoas em relação ao tema, mas, acima de tudo, pegando o gancho da campanha Janeiro Branco, para chamar a atenção das pessoas (e autoridades públicas) para as questões de ordem psicológica-existencial, promovendo a conscientização e a prevenção em relação à Saúde Mental.

Idealizada pelo Psicólogo Leonardo Abrahão, a campanha tem como objetivo criar na sociedade uma cultura de saúde mental, ajudando a transformar o mundo em um lugar melhor para viver e conviver.

A escolha do mês de janeiro se deu por conta de sua posição estratégica, assim como o seu perfil introspectivo, uma vez que a virada de ano é um período em que as pessoas entram em um movimento espontâneo de avaliação das suas próprias vidas e, por ser o primeiro mês do ano, é um mês terapêutico por natureza, em que as pessoas estão mais reflexivas e propensas a se proporem mudanças e resoluções para o novo ano, momento esse perfeito para instigá-las a pensarem sobre saúde mental, sentidos de vida, propósitos existenciais, qualidade de relacionamentos, equilíbrio emocional e se são, ou não, verdadeiramente felizes.

 

Dessa maneira a campanha tem como base 3 importantes eixos:

 

  1. Foco em si mesmo: convidar cada pessoa a refletir sobre a sua vida, o seu propósito, os seus objetivos, as suas metas, as suas emoções, a sua qualidade de vida. Como podemos desenvolver esse pilar da saúde mental?
  1. a) Avaliando a maneira como reagimos às nossas emoções diante das perdas, das frustrações e conflitos.
  2. b) Mudando nosso mindset. Geralmente esperamos muito dos outros e quando percebemos que ao mudar a nossa atitude perante os fatos faz as coisas se transformarem reforça a ideia de que mudando o nosso pensamento calibramos as nossas ações.
  3. c) Fazendo psicoterapia. Muitas pessoas não conseguem realizar essas mudanças sozinhas e buscam o auxílio de um profissional de saúde mental. Dentre os mais habilitados estão os Psicólogos, que recebem formação humana e científica nas universidades para ajudar as pessoas.

 

  1. Foco nos relacionamentos: enquanto seres humanos, somos reconhecidos como tal por outro ser humano. Nesse pilar da saúde mental é muito importante avaliar como as pessoas que convivem comigo estão impactando positivamente ou negativamente na minha saúde mental. Dicas simples pode melhorar esse pilar da saúde mental. São elas:
  1. a) Afastar-se ou compreender o que ocorre naquelas pessoas tóxicas.
  2. b) Estabelecer laços autênticos de amizade.
  3. c) Elogiar sinceramente as pessoas.
  4. d) Solicitar feedback de pessoas que você confia.
  5. c) Escutar o outro com empatia, tentando compreender o que ele está experienciando.

 

  1. Foco no universo: olhar para si mesmo e para pessoas sem contribuir para um mundo melhor como cidadão nos deixa em dívida com a cultura de saúde mental. Como podemos contribuir?
  1. a) Engajando-se em campanhas sobre saúde mental.
  2. b) Lutando contra o confinamento de pessoas portadoras de transtornos mentais em hospitais psiquiátricos.
  3. c) Desenvolvendo projetos para valorizar as pessoas, atendendo demandas coletivas ou individuais.
  4. d) Cuidando da sua casa, da sua rua, do seu bairro, da sua cidade, do seu país, do nosso planeta.

393876804_eHcQKebkDwyKDO0_56gS83xpnxEE1hkvuZHU4M13JKc

Para o Coordenador do curso de Psicologia UNISUAM, Prof. Jorge Gomes da Silva Sobrinho, campanhas como essa são extremamente relevantes, pois ajudam a população a se conscientizar da importância de cuidar da saúde mental, assim como cuidamos do físico, minimizando o preconceito quanto aos transtornos mentais e criando uma onda positiva sobre o bem-estar e contribuindo para a criação de políticas públicas relativas ao universo da saúde mental em todo o mundo.

janeiro-branco-post-2

O grande diferencial do Janeiro Branco é dar foco à saúde emocional e à prevenção de transtornos mentais. Se todos compartilharem ideias, ações ou pequenas atitudes, como a gratidão no nosso cotidiano, teremos um mundo mais humano e com menos preconceito, xenofobia, isolamento e depressões.

Saiba mais sobre a campanha.

Tags:,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *